Estrada do Sabor, Serra Gaúcha

 

Conheça a Dona Odete, chefe de uma família de mulheres agricultoras que superou desafios e hoje encanta turistas na Estrada do Sabor, Garibaldi, na serra gaúcha

Por Rogerio Ruschel

Meu prezado leitor ou leitora, vou contar uma historia que começa triste mas tem um final muito feliz – a historia da dona Odete Bettú Lazzari (foto acima) e sua corajosa família de mulheres. Era uma vez uma pequena propriedade na Linha São Jorge, uma comunidade no interior do município de Garibaldi, vizinha do Vale dos Vinhedos, na serra gaúcha, na qual vivia uma família de agricultores de origem italiana que vivia da produção e venda de uvas e leite. A região era linda (foto abaixo) e todos viveram felizes.

Mas em 1997 aconteceu um problema: Danilo, o chefe da família, faleceu e o mundo desabou nos ombros da viúva Odete que ficou com quatro filhas para sustentar. Numa comunidade como essa as mulheres são quase sempre coadjuvantes dos homens da casa, e ao longo de dois anos a viúva teve que vender as vacas leiteiras, os tratores, arrendar os parreirais e até pedir dinheiro emprestado para parentes para sustentar a família. Até a natureza parecia estar pesada, contra as mulheres da famíla Lazzari.

Em 29 de novembro de 2001 o município de Bento Gonçalves, o Sebrae e a Atuaserra (organização privada) começaram a implantar a Estrada do Sabor, uma proposta para desenvolver o turismo rural na região e assim oferecer uma oportunidade de geração de emprego e renda para famílias rurais, com foco na agricultura e a agroindústria. Parecia que o céu começava a se abrir para a familia Lazzari

Além disso ao mesmo tempo se pensava em internalizar o turismo, isto é, aproveitar o fluxo de turistas que já visitavam as vinícolas grandes na cidade e outras atrações urbanas da região, o que de fato aconteceu. Hoje, quinze anos depois, o roteiro é um grande sucesso de crítica e público, muito bem organizado e sinalizado – e por isso mesmo muito frequentado.

Dona Odete Bettú Lazzari – hoje com 66 anos, abaixo – aceitou o convite para participar do projeto, imaginando poder gerar renda vendendo aquilo que ela e suas filhas sabiam fazer de melhor: refeições deliciosas com receitas secretas da família.

Nos anos seguintes a vida foi uma dureza. As cinco mulheres (duas das filhas ainda adolescentes) enfrentaram todos os tipos de desafios: a falta de crédito oficial, o preconceito comunitário, a desconfiança dos vizinhos, a falta de estudos e a inexperiência em receber turistas e gerir um negócio. Dona Odete inventou a Osteria della Colombina que um dia seria um restaurante e começou oferecendo piqueniques no jardim da propriedade porque não tinha louças e toalhas; estes utensílios foram emprestadas pelo Hotel Casacurta e a secretária de Turismo e Cultura de Garibaldi, Ivane Favero, lembra que levou as louças para a casa da dona Odete em seu carro.

Pois as cinco mulheres venceram tudo isso e continuam vencendo: as filhas Rosangela, Raquel e Roselaine já estão casadas, formadas e tem empregos estáveis que ajudam o negócio da família, e a filha mais moça, Raissa, com 27 anos – uma excepcional  relações públicas formada em Enoturismo – é quem está mais presente no dia-a-dia da Osteria della Colombina ao lado da mãe. Rosangela, a filha mais velha, é técnica em agropecuária com habilitação em agro-indústria e estudou viticultura em Verona, Itália. E é uma das maiores incentivadoras da recuperação das receitas históricas da família. Na foto uma mostra dos produtos locais.

Pois é, meu caro leitor ou leitora, quinze anos se passaram, e este não é o final, mas já é feliz. Hoje a Osteria della Colombina é reconhecida no Brasil e exterior e serve de exemplo em programas de Turismo Rural na Agricultura Familiar. Dona Odete e suas filhas recebem grupos de até 35 pessoas que se emocionam com a experiência criativa, simpática e autêntica oferecida na Osteria, como degustar refeições típicas de imigrantes italianos em ambiente único, numa mesa comprida, no porão da casa da família, que ainda tem um piso de “chão batido“.

Só para você ter uma ideia dos dotes culinários da família, anote: como minha visita foi individual e fora do horário de almoço, dona Odete teve que “improvisar”, cozinhando “algo simples”. Este “algo simples” da dona Odete começou com uma polenta brustolada na chapa como entrada , acompanhada de alguns embutidos, capeletti in brodo e um risotto fantástico.

O cardápio official servido para os visitantes (R$ 60,00 com vinho da casa) inclui estes pratos acima e mais: carne lessa – carne de galinha caipira e gado cozidas na água com temperos não revelados.

Na continuação tem salada orgânica e deliciosa, uma porção generosa de nhoque de três queijos com salaminho defumado; uma galinha ao molho vermelho de tomate da casa; carne de panela assada a moda antiga com bacon e salame – daquelas que tem sabor de panela realmente antiga – e uma fortaia, um tipo de omelete colonial italiano.

E mais: dona Odete oferece aos visitantes uma sobremesa natural excepcional: muitos doces, geléias e compotas de frutas e sorvete de limão siciliano feito em casa. Meu caro leitor ou leitora, é simplesmente divino! E ainda existem receitas antigas resgatadas pela família, como a moranga recheada, que fazem sucesso até mesmo além mar e que não pude conhecer!

A família oferece visitação à propriedade com trilhas entre pomares e parreirais, sempre no meio de uma deslumbrante paisagem; você se sente até mais leve depois do passeio! A família mantém um pequeno e intimista museu com objetos antigos como utensílios domésticos e agrícolas, peças religiosas e fotografias, em uma réplica de casa de madeira da colonização italiana.

Como bons empreendedores a familia Bettú Lazzari já está “exportando” produtos como vinhos familiares (com uvas Montepulciano, Corvina e Malbec, ótimos, por sinal), tempero, doces de frutas como uvas, cítricos, ameixas, pêssegos, peras, figos, marmelos – em pasta, geleias, compotas e conservas, tudo feito com matéria prima orgânica produzida em casa – e certificada. Dona Odete me disse que “aqui tudo saiu de nossa cabeça, pensamos coletivamente, nada é feito sozinho porque somos de uma família de Cremona, da Itália” – com forte sotaque de quem sempre falou o italiano de Veneto, hoje chamado de talian.

Mas as cinco mulheres tem outra magia de encantamento: convidam o visitante a participar da Oficina Mãos na Massa“, a oportunidade do turista preparar sua própria “Colombina”, uma pombinha feita de massa de pão que repousa em uma embalagem tipo caixa de fósforo que as famílias italianas faziam desde o sempre, para envolver as crianças na produção do pão nas famílias. Tem gente que chora – e com razão, porque é um gesto simples mas cheio de significados de momentos que não conseguimos ter nas cidades grandes. Dona Odete me confessa: “Lidamos com o emocional das pessoas, os visitantes passeiam, fotografam, conversam, ouvem historias, ficam de duas a tres horas aqui, se emocionam, muitos choram escondido…”.

Pois é: em 15 de junho de 2016 a Osteria della Colombina completou 15 anos de história, data comemorada com o lançamento de um passeio autoguiado intitulado “Os Caminhos da Colombina” – veja abaixo a placa criada pela designer Rosana Marina.

O roteiro, que sozinho já justifica uma visita a a Osteria della Colombina, oferece passeios entre pomares, vinhedos, hortas certificadas orgânicas, animais domésticos, belas paisagens, agroindústria, uma pequena vinícola de sonho e um museu familiar. A idéia, como me disse a dona Odete, é que o visitante se sinta em harmonia com este lugar como nós nos sentimos”.

Nós nos sentimos, dona Odete, eu me senti de verdade. A Osteria della Colombina que foi palco de uma tragédia família, resistiu e continua sendo um lar – só que agora para muito mais pessoas do que as cinco mulheres corajosas da família Bettú Lazzari. Na foto abaixo eu recebo a energia positiva e tenho o privilégio de aprender sobre persistência, união e qualidade de ida com dona Odete e duas de suas valorosas filhas.

Fotos

Fonte: http://invinoviajas.blogspot.com.br/

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário

Marketing Digital: o pulo do gato

 

Hoje, não é novidade para ninguém que o marketing digital chegou para ficar. De toda forma, é muito importante as empresas entenderem o papel do marketing digital e que não deve haver concorrência entre o convencional e o digital

Texto de Fábio Esquarcio

Em um passado não muito distante, comumente, o marketing só era possível para empresas de grande porte. Investimento alto, dificuldade na gestão de campanhas, distância e falta de entendimento sobre a melhor forma de anunciar, para atingir seu público-alvo, enfim, estes eram alguns dos vários obstáculos enfrentados pelas empresas de pequeno e médio porte para se investir em comunicação e nas ferramentas disponíveis para o marketing e publicidade das empresas.

Hoje, não é novidade para ninguém que o marketing digital chegou para ficar. De toda forma, é muito importante as empresas entenderem o papel do marketing digital e que não deve haver concorrência entre o convencional e o digital. Pelo contrário, os dois devem andar de mãos dadas, como bem disse em recente palestra no Brasil, Philip Kotler, um dos principais pesquisadores da área de marketing , professor da Universidade Northwestern.

Uma das vantagens e um atrativo do marketing digital é justamente a possibilidade das empresas de pequeno porte poderem investir nas diversas ferramentas e estratégias de marketing digital. O Marketing digital é democrático. Exige baixo investimento, se comparado aos investimentos feitos em veículos convencionais, como TV, rádio e mídia impressa, o famoso e tradicional mix de marketing. Segundo Kotler, o novo marketing é claramente mais sobre as mídias sociais e da nossa capacidade de atingir indivíduos. Mas, por quê, então, as pequenas e médias empresas ainda resistem tanto em investir no marketing digital?

São vários os motivos encontrados. Muitas empresas, sobretudo as mais conservadoras, ainda estão presas nos velhos hábitos e crenças sobre o marketing e a publicidade para seu negócio. Ainda não se envolveram com as novas tecnologias e não perceberam  que seu público mudou de comportamento. Indo além, ainda acreditam que, como seus concorrentes não investem no ambiente digital, não há motivos para se preocupar. Ledo engano. Onde está a inovação? Já parou para pensar que seus concorrentes podem estar parados no tempo, tanto quanto você?

Além desses motivos, o empresariado ainda possui pouco conhecimento sobre estratégias de marketing digital, gestão de redes sociais, inovação, leads de venda, taxa de conversão, R.O.I, analytics, adwords e tantos outros termos que na verdade são ações extraordinariamente eficientes. Entretanto, para muitos empreendedores que já perceberam essas sacadas,o mundo digital é o caminho de sucesso para lançamento de muitas marcas.

Percebe-se, claramente, que, em pleno Século XXI, a falta de informação por parte das empresas, executivos e tomadores de decisão ainda impera, quando o assunto é marketing digital. Mas a corrente de empreendedorismo digital que vem crescendo em todo o Brasil já vem mostrando que em um futuro muito próximo boa parte dos negócios no Brasil já estarão com suas estratégias de marketing digital bem definidas, gerando resultados concretos de crescimento.

Fonte: www.administradores.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , | Deixar um comentário

Práticas para manter-se no controle das emoções no ambiente de trabalho

 

Diferentes emoções transitam dentro deste ambiente e é preciso estar preparado para lidar com estes sentimentos que se cruzam, chocam e querem sobressair

Texto de Doutor Odair Comin

O ambiente de trabalho pode ser amigável, mas tem fortes tendências a ser hostil, como uma arena ou campo de batalha pela responsabilidade natural da atividade exercida pelo profissional, metas a serem atingidas e relacionamento interpessoal com os colegas.

Diferentes emoções transitam dentro deste ambiente e é preciso estar preparado para lidar com estes sentimentos que se cruzam, chocam e querem sobressair, caso contrário pode resultar em quadros de transtornos psicológicos e emocionais.

De acordo com o Ministério da Previdência Social, no Brasil, nos últimos dez anos, a concessão de auxílio-doença devido a transtornos psicológicos e emocionais aumentou quase 20 vezes. Atualmente são a segunda maior causa de afastamento do trabalho.

A hipnoterapia, trabalho terapêutico realizado por meio da hipnose clínica, apresenta-se como uma ferramenta efetiva no desenvolvimento das capacidades mentais dos indivíduos para que possam desempenhar o papel de profissional com maior maturidade psicológica e, por fim, blindá-lo de transtornos psicológicos advindos do trabalho.

Veja 6 práticas hipnoterapêuticas que diminuem efetivamente o desgaste emocional dentro do ambiente profissional:

Autocontrole emocional: trabalhar o autodomínio é essencial, pois estar no controle das emoções e no centro de equilíbrio é um passo importante para evitar quadros de transtornos emocionais e psicológicos. Você pode ter mais controle do que imagina. Sempre terão pessoas ou ações que esperarão que você tenha um deslize. Mantenha-se concentrado e conectado com você mesmo. Este é o seu lugar no seu centro flexível. Manter-se no seu centro não significa ficar parado, você pode se deslocar naturalmente. Manter-se no seu centro te dá poder de si mesmo e assim a decisão fica em suas mãos. O comando está em você, cada vez mais consciente dos próprios atos e pensamentos. Uma vez no comando é você quem canaliza as emoções e decide o que te afeta ou não.

Blinde-se de ofensas: sistema imunológico mental. Sentir-se ofendido é uma escolha que se faz a todo instante. É aceitar o lixo e o veneno do outro e dar poder a quem não tem. O outro não tem poder sobre você. Mude você mesmo e fique indiferente a isso, descarregue o sentimento das palavras, pois um novo jeito de pensar e sentir te coloca no comando das emoções. Com este exercício você perceberá que o seu olhar diante de quem te ofende será diferente e quanto mais te ofender menor terá o valor das palavras que este indivíduo profere. Quanto mais o outro se altera, mais no próprio centro você permanece.

Habilidades para desempenhar papéis: desde muito cedo aprendemos a desempenhar múltiplos papéis. Há papéis que desempenhamos com mais envolvimento e outros que não fazemos muita questão. Tem aqueles que gostamos e outros que nos fazem mal. Alguns papéis pedem mais emoção e outros pedem razão! No trabalho é o papel do profissional que entra em jogo, portanto você só precisa fazer um bom trabalho e desempenhar bem a função. Nada do que acontecer será pessoal. Nenhuma das demandas externas será pessoal, quem está lá não é um indivíduo e sim o profissional. Nada pode te atingir ou impactar.

Neutralize pessoas tóxicas: não se envolver com pessoas tóxicas é um ato de amor com você mesmo. Não negue que o outro te faz mal e não se culpe, pois não é você que fez algo errado. As pessoas tóxicas são inteligentes, egocêntricas e quando percebem o ponto fraco do outro invadem e tentam destruir emocionalmente. Escolha sentir o que deseja sentir e ver o que deseja ver. Os mecanismos de defesa são construídos com seus sentimentos e pensamentos. Independentemente do que ouvir, siga seus sonhos. PERMITA-SE uma limpeza profunda. Quando se vive com pessoas tóxicas pode ser contagiado de alguma forma. Quando acontecer procure algo que te faz bem, em ambientes revigorantes com pessoas que te fazem bem. Busque forças, atividades que te dão prazer. Lugares especiais para você e você pode fazer isso mentalmente. Recarregue suas energias.

Aprenda a trabalhar em equipe: vivemos em sociedade, portanto trabalhar em equipe deveria ser natural. Precisamos uns dos outros, dependemos uns dos outros, mesmo que você não perceba. Em níveis mais profundos, a equipe transforma o indivíduo mais forte e torna possível algo que para uma pessoa sozinha seria impossível. Faça seu melhor independente do outro. Uma equipe é heterogênea, diferentes pensamentos, entregas, formas de trabalho e o desafio é transitar de forma leve entre tantas diferenças. Em que momento emperra, em que momento tudo acontece. Aprenda, se desenvolva, se integre, faça sua parte com dedicaçãoe excelência, seu papel se manterá importante e fará a diferença. Seus movimentos serão valorizados e se fortalecerão. Faça seu melhor.

Desenvolvendo a empatia: colocar-se no lugar do outro é um exercício que deve ser colocada em prática. Uma prática diária e frequente. Na medida em que nos relacionamos e convivemos com o outro, colocar-se no lugar dele possibilita um autoconhecimento maior. Por vezes começamos a ver o que antes não víamos de nós mesmos. Colocar-se no lugar do outro pode traçar diferentes estratégias. Uma postura empática potencializa sua inteligência emocional, uma consciência profunda de si mesmo. Mantendo-se no comando de si. Colocar-se no lugar do outro possibilita uma compreensão profunda do outro.

As emoções nos salvam, nos matam, nos aprisionam e nos libertam. Uma inteligência emocional requer domínio, equilíbrio e reto direcionamento para as emoções. É preciso assumir o comando das emoções.

Fonte: www.administradores.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , | Deixar um comentário

10 Hábitos que podem arruinar a sua produtividade

 

Um bom empreendedor está sempre ocupado, focado em resultados e obstinado a alcançar o sonhado sucesso. Enquanto isso, ainda faz parte de um mundo em que o volume de informação e de tarefas é cada vez mais alto. Nesse cenário, falar em produtividade sempre é importante.

Os grandes inimigos da produtividade na vida de um empreendedor são os hábitos ruins. Ficar mal acostumado, seja lá por qual motivo, é a maior sabotagem de quem quer que o trabalho renda e que o sucesso venha.

Alguns dos principais maus hábitos dos quais os empreendedores são vítimas tem a ver com práticas de trabalho, enquanto outros tem a ver com a vida pessoal. De qualquer jeito, eles devem ser evitados caso o objetivo seja uma produtividade impecável.

Internet sem limites

Pesquisas mostram que demoramos 15 minutos consecutivos para nos concentrarmos definitivamente em uma tarefa. A partir desse tempo, entramos em um estado em que o trabalho fui mais naturalmente, desde que não enfrente grandes distrações.

A internet, nesse caso, pode surgir como uma dessas distrações que matam sua produtividade e seu ritmo de trabalho.

Parar o que está fazendo para checar o feed do Facebook, ler e responder alguma mensagem ou atualizar uma página de notícias pode atrapalhar e são práticas que devem ser evitadas.

Experimente focar na mesma tarefa durante 30 minutos consecutivos sem que a internet te distraia e você verá a diferença no resultado do seu trabalho.

Multitarefas

É comum valorizarmos nas empresas os profissionais chamados multitarefas, que executam várias ações ao mesmo tempo. Mas essa habilidade, na prática, pode ser perigosa.

Dividir sua atenção em tarefas demais ao mesmo tempo pode prejudicar a execução de alguma – ou de todas – elas.

Tente fazer uma coisa de cada vez e avalie o resultado. Provavelmente, dedicando a atenção certa, sua tarefa será cumprida com mais precisão.

Perfeccionismo

Buscar a perfeição e a excelência em nosso trabalho é perfeitamente normal. Queremos que tudo seja executado da melhor forma possível e essa ideia nunca estaria errada. A não ser que isso vire uma obsessão, é claro.

Pessoas perfeccionistas demais podem ser prejudicadas ao “travar” diante dos próprios erros. Quem almeja sempre a perfeição e nada além disso, pode ter a produtividade prejudicada por perder tempo descartando ideias “imperfeitas” ou refazendo e editando a mesma coisa incontáveis vezes.

Mania de reuniões

Marcar uma reunião não pode ser uma mania das mais recorrentes na vida de um empreendedor. Tente resolver pendências e tomar decisões sem desprender tempo demais em reuniões.

Reuniões gastam tempo e esforço das pessoas, duas variáveis que devem ser respeitadas e ter uma gestão equilibrada para que consigamos render mais.

Deixar tarefas difíceis para depois

Procrastinar com as tarefas mais difíceis é uma solução comum e bastante equivocada. Quando realizamos todo o trabalho mais fácil primeiro, a motivação para enfrentar os maiores problemas fica em níveis baixíssimos.

Equilibre tarefas de dificuldades variadas ao longo do seu dia. Se possível, também procure encarar desafios maiores logo pela manhã, quando seu corpo estiver mais descansado e a mente mais “fresca”.

Responder rápido demais

Uma caixa de emails cheia de mensagens a serem abertas é uma cena desesperadora, certo? Sim, mas não pense que responder emails assim que eles chegam deve ser um hábito aceitável.

Responda cada mensagem de acordo com a prioridade do assunto dela e respeite seu próprio tempo enquanto faz isso. Responder rápido demais pode interromper tarefas que já estavam em andamento e comprometer assim a produtividade.

Deixar o trabalho atrapalhar o sono

Na vida de um empreendedor, seu negócio e suas ideias valem muito, sim. Diante disso, porém, não vale deixar que o trabalho interfira em aspectos básicos da sua vida e saúde.

Dormir pouco, dormir mal e levar o trabalho noite adentro são péssimos hábitos que comprometem sua saúde física e mental, além de atrapalhar na produtividade ao causar desconforto e cansaço no dia seguinte.

Comendo errado

Alimentação é coisa séria e afeta nossa produtividade diretamente. No dia a dia de um empreendedor, é comum comer rápido demais, comer “qualquer coisa” e abusar de alimentos ruins cheios de açúcar, por exemplo.

Evite todos esses hábitos e o resultado, além de uma melhoria óbvia na saúde, será mais disposição para encarar o trabalho e render mais.

Horários muito irregulares

Pensando tanto no trabalho quanto na vida pessoal, horários desregulados fazem mal para o corpo e para a mente.

Nosso corpo precisa se acostumar, dentro do possível, a horários de trabalho controláveis, para atingir um equilíbrio entre produtividade e disposição física.

Não adianta querer virar uma noite trabalhando se no dia seguinte seu relógio biológico ficará comprometido e todos os seus horários “bagunçados”.

Obsessão pelo tempo

Que a pressa é inimiga da perfeição todo mundo sabe. Deixar o tempo tomar conta da sua cabeça, então, não é nada recomendável.

Realize suas tarefas com prazos razoáveis, sem parar para conferir o relógio toda hora. Você ficará mais concentrado e produzirá mais e melhor.

Todos esses hábitos são mais facilmente evitáveis do que pode parecer. Seja no dia a dia ou no horário de trabalho, melhorar esses 10 aspectos da vida te ajudará a encontrar equilíbrio, a produzir mais e, consequentemente, a viver melhor.

Coloque em prática hoje mesmo e os resultados logo virão.

Fonte: http://geracaoempreendedora.com/

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Líder, a fofoca vai destruir a sua equipe e a culpa será sua

 

Texto de Paulo Planez

Para ter uma equipe produtiva é fundamental que haja harmonia. Muitas equipes estão sendo destruídas sem que o líder consiga entender o porque

Imagine a cena: um grupo de pessoas sentadas em uma mesa de bar. Conversa vai conversa vem e aparece o seguinte comentário: poxa, fulano é um saco, só faz coisa errada.

Sem que as pessoas se deem conta, iniciou-se ai um processo de degradação da equipe. Se os demais membros do grupo assumirem a frase como válida, automaticamente o “fulano” começará a ser depreciado pela equipe.

Depois de algum tempo, sem que ninguém perceba, esse comportamento (de criticar o fulano) já se tornou hábito, e todos o fazem, sem nunca terem conversado com o fulano ou nunca terem dado algum feedback para ele sobre a percepção em relação ao trabalho que ele faz ou a algum comportamento que ele tenha.

Com o passar do tempo, o clima na equipe piora, os problemas de comunicação começam e gerar problemas nas atividades desempenhadas e o desempenho da equipe desce ladeira abaixo.

Essa é a característica da fofoca no ambiente de trabalho: Ela envolve as pessoas, derruba os parâmetros do profissionalismo, contamina a equipe, afeta a qualidade do trabalho e piora o clima organizacional.

A fofoca no ambiente de trabalho pode ser devastadora e destruidora. Um comentário maldoso, uma frase fora de contexto ou mal elaborada ou mesmo um olhar podem ser mal interpretados, gerando conflitos desnecessários.

A sabedoria diz que a fofoca é um dos males que tem alto poder para destruir relações. Quase sempre vem de pessoas ligadas aos envolvidos, formulada com desonestidade e covardia e sem chances de defesa.

Líder, você é a solução

É nesse momento que a presença do líder é fundamental para garantir a qualidade e o crescimento da equipe.

A liderança deve ser sensível a esse tipo de comportamento e identificar quando as brincadeiras começam a se tornar fofocas e começam a denegrir as pessoas e alcançar o potencial de destruir a produtividade e a equipe.

Quando a liderança identifica esse cenário, está diante de uma oportunidade única para reforçar a harmonia e a integração entre a equipe.

Diante de tal situação, a primeira ação do líder deverá ser a de incentivar as pessoas a trabalhar com o feedback individual, entre os membros da equipe, se posicionando como mediador dessas conversas, de forma a evitar mais mal entendidos. Colocar as pessoas para conversar diretamente vai contribuir para que as fofocas percam força e sejam rejeitadas pela equipe.

É justamente a rápida reação do líder que vai garantir a qualidade do clima entre a equipe, contribuindo para a melhoria da produtividade e da comunicação entre as pessoas. Quanto mais demorada for a reação, maiores serão as consequências para a equipe.

Fonte: www.administradores.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

25 regras modernas de etiqueta

 

Infelizmente, muita gente considera que seguir normas de etiqueta é algo fora de moda, e tem a sensação de que obedecer a tais regras é coisa de gente arrogante e fútil. Mas não é bem assim.

Na verdade, os fundamentos da etiqueta são muito simples. É questão de se expressar usando palavras agradáveis, ser cordial, ter boa apresentação pessoal e habilidade para não se deixar levar pelas emoções.

O Incrível.club traz a você algumas regras modernas de etiqueta que todos os que têm respeito pelos outros e por si mesmo deveriam conhecer.

  • Se você diz a frase ’Você é meu convidado’, quer dizer que você vai pagar a conta. Outra maneira de dizer seria: ’O que você acha de irmos a um restaurante?’. Neste caso, cada um paga sua parte. Só se uma das pessoas se oferecer para pagar tudo, aí sim, a outra pode aceitar.
  • Nunca visite alguém sem avisar antes. Se alguém chega em sua casa sem prévio aviso, é porque não se importa que você o receba vestindo as roupas que usa quando está sozinho. Uma dama britânica disse uma vez que, se chegam visitas inesperadas a sua casa, ela rapidamente pega o chapéu e o guarda-chuva. Caso a pessoa que acaba de chegar for do seu agrado, ela diz: ’Ah, que bom, eu também acabei de chegar!’. Mas se a visita é de alguém inoportuno, ela diz: ’É uma pena que eu precise sair’.
  • Nunca deixe seu smartphone sobre a mesa em lugares públicos. Do contrário, você estará mostrando a importância que aquele aparelho tem em sua vida e o pouco que se interessa pelo o que acontece ao seu redor. Além disso, seu interlocutor pode entender que você está só esperando o momento preciso para checar seu perfil no Instagram (por exemplo), para atender uma ligação, enfim, para terminar aquela conversa, que não é interessante para você. Isso depõe contra você.
  • Nunca, nunca convide alguém para um jantar romântico se depois for falar com ela só por mensagens de texto. Nunca.
  • O homem não precisa carregar a bolsa da mulher. E o homem só precisa carregar o casaco da mulher para deixá-lo na chapelaria ou no guarda roupas.
  • Se você está passeando com alguém e ele ou ela cumprimenta uma pessoa que você não conhece, você deve fazer o mesmo.
  • Muitos pensam que sushi só pode ser consumido com os palitinhos chamados de hashi. Mas isso nem sempre é regra. Caso se sinta mais confortável, solicite os talheres com os quais você está acostumado.
  • Calçados devem estar SEMPRE limpos.
  • Não tenha conversas vazias por telefone. Por outro lado, se você precisa falar sobre algo muito sério, o melhor é encontrar-se pessoalmente, ou fazer uma chamada com vídeo em um lugar privado.
  • Se o ofenderam, não vale a pena responder com um palavrão ou com um gesto agressivo, muito menos levantar a mão a quem o ofende. Não se rebaixe ao mesmo nível. Sorria e, cordialmente, retire-se da presença da pessoa.
  • Segundo a tradição, ao andar pela rua, o homem deve ficar ao lado esquerdo da mulher.
  • Os motoristas não podem esquecer que molhar os pedestres ao passar com o carro em uma poça d’água é a pior de todas as faltas de respeito.
  • Se não tem intimidade com seu interlocutor, não é prudente falar sobre: idade, riqueza, problemas domésticos, religião, política, relações amorosas, presentes e procedimentos médicos.
  • Ao chegar ao cinema, teatro ou show, a forma correta de chegar aos lugares reservados é ficando de frente com que está sentado.
  • Um homem nunca deve tocar numa mulher sem seu consentimento, nem segurar sua mão, nem se aproximar demais durante uma conversa.
  • Não se deve segurá-la pelo braço, a não ser, é claro, se precisar ajudá-la a subir em um meio de transporte ou em outra situação parecida.
  • Se alguém tenta dirigir-se a você de maneira inadequada, usando algo como ’Ei, você’, não vale a pena atendê-lo. Também não vale a pena querer educar os outros, muito menos num encontro breve. O melhor é dar o exemplo.
  • A regra de ouro para usar perfumes é a moderação. Se, ao cair da tarde, você ainda sente o aroma do seu perfume, deve saber que as outras pessoas tiveram que aguentá-lo. E certamente não gostam tanto disso quanto você.
  • Um homem educado nunca deixará de tratar uma mulher com o devido respeito.
  • Na presença de outras pessoas, só fume se todos afirmarem que não se incomodam. Aliás, se possível, não fume nunca mais.
  • Seja quem você for, ao entrar em um recinto, cumprimente primeiro.
  • Permita que as mensagens pessoais continuem sendo pessoais: pais não devem ler a correspondência dos filhos, nem o marido, a correspondência da esposa, e assim sucessivamente. Ler mensagens alheias é uma grande intromissão no espaço pessoal do outro.
  • Não seja uma vítima da moda. É melhor sentir-se bem, ainda que não esteja usando o último lançamento das passarelas. Moda sem estilo nem propriedade não vale de nada.
  • Depois pedir perdão e de ser perdoado, não vale a pena voltar ao assunto e pedir perdão de novo. Não repetir o erro é suficiente.
  • Rir exageradamente, falar muito alto e encarar as pessoas podem ser interpretados como atitudes ofensivas.
  • Não esqueça nunca de agradecer os seus amigos, familiares e pessoas próximas. Agradeça-os, por exemplo, por suas boas ações e pela disposição que eles demonstram para lhe ajudar. Expressar gratidão é um ato de pessoas educadas e sensíveis.

Fonte: https://incrivel.club

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Dia Mundial do Turismo e dia nacional do bacharel em Turismo

 

Texto de Bayard Boiteux citando a realidade do Rio de Janeiro mas que serve para Salvador e outras cidades. Do Plano Nacional do Turismo com metas ambiciosas não se fala mais. Lamentável. (Eliana de Morais).

No ultimo dia 27 de setembro, o mundo festejou o dia mundial do turismo e o Brasil,o dia nacional do bacharel em turismo. Devo confessar que as datas passaram quase desapercebidas na grande imprensa e pior na imprensa especializada,com raras exceções.

A OMT – Organização Mundial do Turismo criou a data para que todos os países membros promovessem eventos que pudessem sempre atender ao tema que anualmente é escolhido. Em 2016,a Tailândia foi escolhida para sediar a data mais importante de nossa ATIVIDADE e Bancoque  escolhida para a grande festa. O tema foi “turismo para todos” e o Brasil simplesmente lançou um  vídeo sem nenhuma atividade que desse mais visibilidade para o grande publico. É o momento mais oportuno para que o turismo seja visto como uma indústria capaz de resolver as desigualdades sociais e retirar um pouco o caráter apenas glamoroso das viagens e coquetéis, que o grande publico tem. Finalmente, são quase 1 milhão e 300 mil portadores de necessidades especiais que ficaram no centro das atenções e que tem muitas dificuldades para viajar,pela falta de infraestrutura de acessibilidade.Os jogos paralímpicos que permitiram sem duvida uma democratização das arenas construídas para as Olimpíadas mostram um carioca curioso e solidário com os atletas paralímpicos mas a cidade não conseguiu alcançar o seu compromisso com a acessibilidade, que apesar de todos os esforços deixou muito a desejar.

Os turismólogos hoje assistem o fechamento das faculdades de turismo no Brasil,que perderam o compromisso com a empregabilidade ou trouxeram a triste realidade dos salários pouco atrativos pagos pelas empresas de turismo e a falta de um plano de carreira. Há  POUCO INVESTIMENTO EM PROMOÇÃO do vestibular dos referidos cursos,desleixo com as bibliotecas e laboratórios,desinteresse de profissionais mais gabaritados de integrarem os corpos docentes e escolha de coordenadores sem a devida motivação e conhecimento laboral. No Brasil,mais da metade das faculdades particulares fecharam e as públicas estão longe de uma proposta curricular real mas sempre muito bem avaliadas, o que nos deixa intrigados.O Brasil e especialmente o Rio de Janeiro tem que lutar para que as faculdades sejam mantidas em nosso Estado e que novas com visão empreendedora sejam abertas,com o compromisso de garantir a seus egressos empregabilidade e reconhecimento,como o fez outrora a UNIVERCIDADE, que acabou e ainda hoje deve a seus professores que se dedicaram para a sua sobrevivência.

No Rio,as duas datas foram quase que esquecidas se não fosse o  Prêmio Yedda Maria Teixeira.promovido pela Associação dos Embaixadores de Turismo do Rio de Janeiro e o Site Consultoria em Turismo,na data de 27 de setembro,no Hotel Copacabana Praia,com o apoio da Sergio Castro Imóveis e Fundação Cesgranrio. Foi o único evento no Rio de Janeiro,que figurou no calendário oficial da Organização Mundial do Turismo.Como me lembro da forma como coordenei as datas em anos anteriores,com distribuição de flores nos aeroportos e rodoviárias,passeios gratuitos pela cidade ,palestras e seminários de esclarecimento além de concursos de monografia,entre outros.m 2016,foi a guerreira YEDDA, que não deixou o turismo ficar fora do circuito do pensamento turístico.

A verdade é que sentimos bastante a falta de envolvimento das autoridades e do trade nas duas datas.Alias,o turismo anda desprestigiado,na escolha de ministros e na campanha politica dos candidatos.Aqui,no Rio,nenhum candidato a Prefeito falou sobre Turismo em seus programas na radio ou televisão ou apresentou algum plano especifico para a área.

São algumas reflexões,que espero nos façam pensar um pouco….

Fonte: http://www.revistaeventos.com.br/blog/Diversidade-e-Turismo/Dia-Mundial-do-Turismo-e-dia-nacional-do-bacharel-em-Turismo/39893

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , | Deixar um comentário

Poder de negociação

 

O poder de negociação está relacionado ao poder de comunicação, percepção, motivação

  • Estado de excelência: você pensa de forma positiva, se sente de forma positiva e age de forma positiva. Isso se chama entusiasmo.
  • Seja amigo, faça amizades, tenha uma aparência semelhante. Se você vai a uma festa a rigor vista-se a rigor. Em Roma faça como os romanos. O aperto de mão deve ser igual, demonstra confiança mútua e quer dizer: Eu sou igual a você e portanto você pode confiar em mim.
  • Aprenda a ouvir: Escute o que diz o interlocutor, principalmente o nome e memorize esse nome. Repita pelo menos 3 vezes durante a conversa. As pessoas gostam de ser chamadas pelo seu nome. e aquilo que é repetido menos de 3 vezes o cérebro não registra. Quem controla uma conversa é quem escuta e não quem fala. Seja interessado ao invés de interessante. Interessado é aquele que faz perguntas; interessante é aquele que fala pelos cotovelos e depois fica esquecido.
  • Provoque a primeira boa impressão: você nunca vai ter uma nova chance de causar uma primeira boa impressão. Em qualquer oportunidade utilize o sorriso e uma boa expressão facial.
  • Qualifique o cliente: as pessoas vivem a vida segundo seus valores que são apenas estados mentais. Estimule as pessoas a falarem delas pelas suas próprias palavras. Descubra o que é importante para elas. Manifestação de valor é igual o que representa a palavra para ela.
  • Influência no campo inconsciente: a palavra “porquê” significa que você está dando uma razão e quando uma pessoa ouve “porquê” ela para de pensar. Portanto justificando sua ação você será imediatamente entendido e atendido.
  • Lei do contraste: quando você fala de um preço para alguém, primeiramente apresente o que é mais caro e depois o mais barato. Ou fale de um problema grave para depois falar daquilo que você quer. A dimensão não aparece (tudo depende da sua intenção).
  • Lei da reciprocidade: quando alguém lhe faz um favor você quer imediatamente retribuir este favor. Portanto se você oferece uma cortesia fatalmente depois você pode pedir um pequeno favor que não lhe será negado. Por isso, cuidado com favores que lhe prestam.
  • Lei da consistência automática: você sempre quer ser consistente e cumprir prazos. Quanto mais tempo você levar para cumprir uma promessa, mais comprometido você se sentirá e fará tudo para cumpri-la, e às vezes terá que cumprir acima de suas possibilidades.
  • Lei da escassez: quando você anuncia que algo é exclusivo, aquilo se torna importante para quem ouve. Tudo que é escasso tem mais valor. É por isso que quando você conta um segredo para uma pessoa, ela se considera importante para você pois você confiou algo somente para ela.
  • Lei da concessão recíproca: quando você pede algo e lhe é negado, você não insiste. Depois de algum tempo você volta e pede outra coisa, isso lhe será fatalmente concedido. No caso de receber uma ligação telefônica nunca diga que você retorna mais tarde, a não ser numa ocasião muito especial, porque você perde o poder da comunicação. Se você atende imediatamente, você faz uma concessão automática e conserva o poder de discordar.
  • Lei do comprometimento: tudo começa pequeno, mas se alguém fala algo em público, isto se torna um compromisso, tem mais consistência. Mas sempre o compromisso por escrito sempre tem mais força.

VENDENDO UM PRODUTO (IDÉIA / PRODUTO/ SERVIÇO)

* Leve o comprador a possuir o produto na mente: peça-lhe para descrever, no caso de uma cadeira: Onde você gostaria de colocar esta cadeira em sua sala? Ele vai ter que imaginar a cadeira na casa dele. Se for um serviço, leve-o a imaginar o serviço pronto e como poderá usufruir dele. Se for uma roupa, pergunte com que vai usar ou para qual ocasião.

* Estimule a imaginação: no caso de uma entrevista de emprego, pergunte como deverá fazer o trabalho na empresa, isso leva a quem o está contratando a imaginá-lo trabalhando na empresa dele e os benefícios que teria na sua contratação.

* Objeções: ignore ou elimine as objeções enquanto vão surgindo. No caso da pessoa perguntar: mas não tem outra cor? Você elimina esta objeção de forma simples: Se tiver você vai levar um vermelho? Assim você pode continuar a negociação sem que a pessoa faça essa objeção novamente. Atenção no tom de voz na objeção. Seja interessado e amável.

* Repetição: vale lembrar que uma vez que ocorre uma coisa ou fato, se essa coisa ou fato se repetir mais duas vezes indica que ocorrerá mais vezes.

* Facilite a transação: isto quer dizer antecipe-se às objeções e outros obstáculos que possam surgir.

* Crie o futuro para a pessoa: faça-a a vivenciar os benefícios por antecipação. No caso de alguém que quer comprar um carro para trabalhar leve-a a imaginar todos os transtornos com ônibus que ela deixaria de ter. No caso de um vestido leve-a a imaginar usando com algo que ela já comprou como aquele sapato ou com outros acessórios – pergunte com que vai usar?

*
Ajude a pessoa a decidir: todas as pessoas evitam sofrimento ou querem prazer, portanto, antecipe os benefícios. Leve-as a imaginar os benefícios.

Fonte: http://gestaodenegocioseeventos.blogspot.com.br/

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

E se seus colaboradores não gostassem de você?

 

Especialista em liderança dá dicas de como recuperar a simpatia dos outros profissionais da empresa

A liderança das mulheres ainda é algo novo até para elas mesmas. Por muito tempo, acostumadas a ver os homens ocuparem os cargos altos das empresas e dominarem a sociedade empresarial, as mulheres ainda podem encontrar uma certa dificuldade em conquistar a confiança de seus subordinados. Hoje em dia, tão qualificadas e capacitadas quantos os homens, as profissionais vem cada vez mais se apoderando dos cargos altos das empresas. Mas o que fazer quando os subalternos – principalmente do sexo masculino – torcem o nariz para sua liderança?

Segundo a leader coach e analista comportamental, Fabiane Oliveira, essa é uma realidade de quase 80% dos empreendedores – não somente mulheres – com quem ela já lidou “Ainda há um corporativismo masculino predominante. Muitas vezes, não gostam por dor de cotovelo, mas pode ser que a líder esteja fazendo algo errado também. Ainda é muito novo para, nós mulheres, liderarmos. Então, é normal que algumas coisas não encaixem tão bem” afirma a especialista.

Ainda de acordo com Fabiane, nem tudo está perdido quando há discordâncias constantes ou desavenças no ambiente de trabalho. A coach dá cinco dicas para lidar com essa situação:

1. Identificar quem pensa dessa forma. “Utilize questionários, chegue mais próximo de seus funcionários, tenha uma conversa franca. De maneira indireta, eles dirão o que os incomoda, e você saberá o que eles realmente acham”, afirma.

2. Aceitar a situação. “Negação é muito comum. Temos o hábito de pensar que a culpa é deles, mas as culpadas, muitas vezes, somos nós mesmas. Portanto, aceite de cabeça erguida que há um problema. É o primeiro passo para tentar corrigir”, argumenta a profissional.

3. Colocar os funcionários no jogo. “Para lidar com a situação, peça que eles a ajudem. Eles ficarão muito felizes em ver que você deseja mudar o cenário, e prontamente darão instruções e conselhos”, conta Fabiane.

4. Fazer mudanças rápidas. “Alguns problemas serão bem difíceis de serem alterados. No entanto, certamente existem algumas medidas que podem ser tomadas em um curto espaço de tempo. Por exemplo, um café da manhã semanal com a equipe pode mudar os ares do local!”, aconselha.

5. Voltar ao passo 1. “Por fim, depois de um tempo após a execução das mudanças, volte a identificar quem ainda está insatisfeito, e recomece o ciclo”, diz.

A especialista, que ajuda muitos líderes diariamente a terem desempenhos excelentes frente às suas equipes, utiliza desses 5 passos como parte de seu programa de coaching, e afirma funcionarem de verdade “Sempre haverá desvios no comportamento, mesmo se você desejar mudar e se tornar um líder servidor. Ninguém é perfeito. O que precisa acontecer é você ter a vontade de mudar, todos os dias!”, finaliza.

Fonte: www.administradores.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Evento Churrasco

 

Todo brasileiro adora curtir um churrasco junto à família, amigos e vizinhos, aproximando-os, sentindo o calor humano ao lado de uma churrasqueira. Um bom e divertido churrasco, preferencialmente é sempre realizado em áreas externas, onde as pessoas possam curtir um dia ensolarado junto da natureza. Mas se você mora em um apartamento, também pode fazer um churrasco, desde que utilize uma churrasqueira elétrica ou a gás.

Assim como um almoço formal, um churrasco também tem algumas regras, existindo alguns segredos que, seobservados, podem torná-lo inesquecível. É imprescindível que o local seja adequado ao número de convidados, e ofereça conforto e descontração. É um tipo de almoço ou jantar que dispensa formalidades, porém não dispensa a etiqueta social e hospitalidade.

Os convidados devem ser recebidos com a disponibilização de mesas e assentos suficientes para todos. Se não houver espaço suficiente para muitas mesas, pelo menos os assentos e aparadores para copos. Nenhum convidado se sentirá confortável quando estiver comendo de pé, com o prato, copo e talheres nas mãos.

Um aspecto constrangedor é servir a carne aos convidados, apresentando-lhes o espeto para que peguem a carne assada com as mãos. Além de correr o risco de provocar queimaduras nas mãos dos convidados, remete a um antigo costume dos trogloditas. Outro costume que provém dos americanos, é utilizar copos, pratos e talheres descartáveis. Atualmente é tão barato alugar pratos de louça, copos de vidro, talheres, mesas e cadeiras, forros de mesa e outros produtos destinados a eventos; não vai pesar tanto no seu orçamento e é a forma correta de servir.

A churrasqueira deve manter o calor e ser funcional, permitindo o uso adequado dos espetos, grelha e a chapa. Deve ser mantida abrigada do vento e próxima a uma bancada e local onde se possa lavar vasilhames e as mãos. O acendimento da churrasqueira deve preceder o horário marcado para o evento em pelo menos 1 hora, pois o carvão tem uma lenta combustão. Além disso, o churrasco é uma iguaria que se faz lentamente, e por isso os primeiros assados a serem servidos, devem ser preparados com um pouco de antecedência à chegada dos convidados, que com certeza se sentirão mais animados ao serem recepcionados com o aroma da carne assando.

Um dos segredos do churrasco é evitar as chamas do carvão, e pode-se salpicar um pouco de água sobre o carvão; porém nunca sobre o churrasco, pois o choque térmico pode endurecer a carne. Para o acendimento use sempre o álcool gel que é mais apropriado. Por lei, o álcool líquido não pode mais ser utilizado. Nunca use querosene, gasolina, toner, etc. pois além de passar gosto para a carne, prejudica a saúde e pode causar explosão.

Para acender a churrasqueira, primeiramente coloque um pouco de carvão, umedeça em 3 pontos diferentes com um pouco de álcool e jogue um fósforo aceso sobre o álcool. Aguarde até que esses carvões comecem a incandescer, coloque mais um pouco carvão, abanando para que o ar propague o fogo, até ter brasas acesas. Espalhe as brasas, abane mais um pouco e terá por algum tempo o calor necessário.

Assar, significa expor a carne rápida e diretamente a uma fonte de calor. A proteína da carne, a albumina, como auto-proteção, coagula-se rapidamente formando uma camada impermeável que bloqueia a saída do sumo. A carne se contrai e fica levemente crostada. As gorduras que não coagulam neste processo, são destiladas e pingam sobre as brasas. É hora de virar o espeto, repetindo tudo de novo. A temperatura interna da carne aumenta e o sumo não se perde. A água se volatiza. Quando a carne passa do ponto, fica excessivamente seca, porque perde água demais.

O tempo que leva um churrasco para assar depende do calor da churrasqueira, das carnes escolhidas, dos cortes, da qualidade do carvão. As carnes nos espetos devem ser protegidas pela gordura ou pelo osso, por exemplo: a picanha e a costela. Alguns equipamentos são imprescindíveis, outros podem ser substituídos, mas em geral é necessário: pinça para espalhar as brasas, facas afiadas, pedra para amolar quando necessário, tábua de cortar a carne, espetos largo, fino e duplo, grelha, garfo, colher, gamela ou garrafa de vinha d’alho, pinça e travessa para servir o churrasco.

Uma recomendação importante é ter faca de corte e talheres para manusear a carne crua e outra faca e talheres para servir a carne assada, isto porque, os micro organismos presentes nos alimentos ricos em proteína e com alto teor de umidade e baixa acidez, como a carne crua, serão transferidos para a carne assada.

Esse procedimento é válido também na manipulação de carnes de qualquer espécie, ovos, peixes e produtos lácteos. As salmonelas estão presentes em 80% das carnes de aves, porco e ovos, que são destruídas quando se leva o alimento acima de 70 graus C. A salmonelose pode ser evitada lavando-se a casca dos ovos com vinagre. No caso das carnes cruas, devem ser manipuladas em área separada das carnes assadas.

Quem prepara o churrasco e manipula os alimentos deve ter uma toalha a ser usada especificamente para secar as mãos, que devem ser lavadas continuamente, evitando assim contaminar os alimentos por Staphylococcus aureus. Um pano de prato deve ser exclusivo para enxugar talheres e outros vasilhames. Uma dica importante para lavar copos, sem ficar com manchas, é borrifar álcool enquanto estão molhados e esperar escorrer a água. Depois ao secá-los, ficarão brilhantes.

Na escolha do carvão é importante saber reconhecer o bom carvão. Existem diversas marcas e embalagens, mas os carvões feitos de madeira de acácia negra e de eucalipto são considerados os melhores, pois são homogêneos, não liberam muita fumaça, têm boa textura e rendimento, ficando portanto mais econômicos. Se o carvão produz muito pó, é quebradiço e fica disforme, não é um produto de boa qualidade.

O tempero do churrasco é o sal grosso; está na origem histórica. Meia hora antes, salgue a carne esfregando o sal em toda parte da carne. Espete a parte mais gordurosa para baixo, por exemplo, a picanha. Não se deve temperar a carne do churrasco com sal fino de cozinha, pois este adere mais à carne e pode torná-la salgada. Se não tiver sal grosso, faça uma salmoura com o sal fino e borrife periodicamente a carne, sem tirá-la do fogo. O tempo médio para a preparação de cada tipo de carne é de 30 a 40 minutos aproximadamente. As peças cortadas em postas podem reduzir esse tempo para 20 minutos.

Em geral calcula-se 400 gramas de carne + 300 gramas de guarnição por pessoa adulta. Os churrascos durante o dia podem requerer uma quantidade maior; dependendo do tipo de convidados. Jovens e adultos consomem mais; idosos e crianças consomem menos. Nos churrascos noturnos geralmente tem menor consumo. Os cortes de carnes bovinas preferidas para o churrasco são:

  • Alcatra: apesar da pouca gordura, deve ser limpa e cortada em pedaços grossos. É a forma de manter o ponto por fora e a suculência no meio da carne. Deve ser servida ao ponto ou mal passada.
  • Picanha: é macia e por ser uma carne sem músculos e de alto volume sanguíneo, é o que lhe marca o sabor característico. Ela deve ser assada em bifes grossos, e o ponto certo é o mal passado.
  • Contra-filé: é macio, tem sabor acentuado e muito suco. Deve ser assado em bifes grossos e servido ao ponto ou mal passado, sob pena de perder o suco e o sabor.
  • Maminha ou ponta de alcatra: Tem uma leve semelhança com a picanha e deve ser servida ao ponto, mal passada ou bem passada.
  • Filé mignon: é uma carne macia e gosto levemente adocicado. Para grelhar deve ser cortado em bifes grossos e servir ao ponto pois a maciez e o sumo se mantém.
  • Fraldinha: é uma carne saborosa, pouco popular. É uma carne com muita gordura e nervos, que devem ser limpos antes de ir à grelha. Não deve ser passada demais.
  • Chuleta: é uma carne saborosa mas pode ficar dura ao ser assada. Seu ponto certo é o mal passado. É entremeada de gordura que a mantém suculenta.
  • Costela: é a carne mais típica do churrasco. Deve ser limpa até se ver o osso de um lado e a carne do outro lado. A parte do osso vai primeiro à brasa e só pode ser virada quando essa parte estiver bem assada. Serve-se ao ponto.
  • As carnes de porco e frango devem ser bem passadas e colocadas mais afastada das brasas por um tempo até que tenham cozido por dentro e depois mais próximas ao fogo para crostar.
  • Os peixes devem ser colocados na grelha e não devem permanecer por muito tempo na brasa.

Ao servir a carne, para retirar o sal grosso da carne assada, dê leves pancadas com os lados da faca sobre a carne. Um churrasco requer guarnições que propiciam um paladar agradável ao churrasco, e as sugestões são: salada verde, queijo na brasa, batata-doce e beringela assada, pão de alho, polenta frita, farofa, vinagrete etc.

A quantidade de bebidas depende do tipo, do número de convidados e do tempo de duração do churrasco. Em geral em um breve churrasco para o almoço, calcula-se 4 garrafas de cervejas, 1/2 litro de refrigerante, 1/2 litro de água para cada convidado adulto. Nos churrascos noturnos, há um consumo maior de bebidas, principalmente o público jovem. Um bom churrasco no Brasil pede uma ” a caipirinha “. Para manter um sabor agradável e não ficar amargo, retire a parte central do limão, amasse bastante com açucar e acrescente a cachaça e gelo.

A responsabilidade social e com o meio ambiente deve estar presente ao terminar o churrasco. Assim, tenha o cuidado de apagar o fogo; espalhe as brasas e vá salpicando água aos poucos sobre elas. Se estiver fazendo um churrasco com as brasas diretamente no chão, em um sitio ou fazenda, não vá embora sem apagá-lo. A maior parte dos incêndios nos campos começa com um fogo abandonado. Jogue água ou cubra com areia, até que tudo se apague.

 

Fonte: http://gestaodenegocioseeventos.blogspot.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , | Deixar um comentário