30 provérbios chineses para inspirar sua rotina

 

Com poucas palavras, os provérbios chineses têm difundido sabedoria e inspiração há milhares de anos. Muitos falam de habilidade, perseverança, conhecimento e sucesso, e podem trazer grandes lições para a atualidade. Pensando nisso, separamos alguns dos melhores provérbios chineses:

1. Limitações são fronteiras criadas apenas pela nossa mente.

2. Só o tempo e o esforço trazem a competência.

3. Ao morrer, o leopardo deixa sua pele. Ao morrer, o homem deixa seu nome.

4. Sem a oposição do vento, a pipa não consegue subir.

5. Seja lento na promessa e rápido no desempenho.

6. Palavras ríspidas e argumentos pobres nunca resolveram nada.

7. Pobres são aqueles que não têm talentos, fracos são os que não têm aspirações.

8. O bom estrategista traz um exército dentro da cabeça.

9. A derrota só será uma bebida amarga se concordarmos em tragá-la.

10. A persistência realiza o impossível.

11. Não compense na ira o que lhe falta na razão.

12. Se houver um general forte, não haverá soldados fracos.

13. Para cortar uma árvore bem rápido, gaste o dobro to tempo afiando o machado.

14. Para ganhar cem vezes em cem, estude bem o seu oponente.

15. Lamentar aquilo que não temos é desperdiçar aquilo que já possuímos.

16. Costumamos encontrar nosso destino justamente onde nos escondemos para evitá-lo.

17. Espere com paciência, ataque com rapidez.

18. Os covardes sonham, os corajosos têm visões.

19. O aprendizado é como o horizonte: não há limites.

20. A vida nunca poderá dar segurança, só pode prometer oportunidades.

21. Um pássaro não pode voar enquanto suas penas não estiverem plenamente desenvolvidas.

22. Até as torres mais altas começaram do chão.

23. Tecer uma rede é melhor do que rezar por um peixe à beira d’água.

24. A preocupação nunca venceu o destino.

25. A ganância entra no coração para roubar a paz de espírito.

26. A sorte se apresenta sob muitos disfarces.

27. Fracassar não é cair, é recusar-se a levantar.

28. A engenhosidade ilumina o caminho para o sucesso.

29. Sem a experiência nunca teremos o conhecimento pleno.

30. Os melhores estrategistas nunca são impulsivos; os melhores líderes nunca são arrogantes.

Fonte: www.administradores.com.br


 

 
Publicado em Artigos | Com a tag , | Deixar um comentário

7 passos para encantar e fidelizar clientes

 

Dica número #1: Esteja alinhado ao posicionamento da marca em que atua. Ser coerente é fundamental

O marketing boca a boca sempre foi um dos meios mais eficazes para empresas conquistarem projeção e sucesso. Nos últimos tempos, com o boom das redes sociais, isso ficou ainda mais fortalecido. Mas por que os clientes argumentam, defendem e até brigam com outras pessoas apenas por causa de uma marca de smartphone, por exemplo?

A especialista em vendas Silvia Bez explica que essa paixão tem um motivo: “As marcas líderes de mercado têm como foco principal o cliente e não apenas seus produtos. E o resultado disso são experiências memoráveis e consumidores encantados, que fazem boca a boca espontâneo e atraem novos clientes.”

Para Silvia, não basta ter o melhor produto do mercado se a atenção com os clientes não é uma das prioridades. “Qualquer produto ou serviço pode ser copiado ou até melhorado. Por isso, a empresa que foca apenas nas vendas, sem satisfazer a necessidade do consumidor final, pode ser surpreendida pela concorrência, que se desdobra para reinventar o processo.”

Ouvir o cliente também é essencial. “Críticas boas e ruins e sugestões sempre serão ótimas referências para melhorar”, afirma a especialista.

Silvia lista abaixo 7 dicas para ter clientes encantados e fieis:

1) Esteja alinhado ao posicionamento da marca em que atua. Ser coerente é fundamental para gerar a confiança do cliente e para a excelência de seu atendimento.

2) Saiba todas as características e benefícios de seus produtos. Antes de chegar até você, o cliente já realizou uma pesquisa prévia do mercado. Caso desconheça alguma informação que lhe seja questionada, diga a verdade sobre a falta de conhecimento e que irá buscar a resposta o mais rápido possível.

3) Tome cuidado com sua aparência, linguagem verbal e corporal e ofereça um atendimento consultivo e diferenciado.

4) Faça um atendimento assertivo e sustentável. Identifique as necessidades do cliente para diminuir as chances de perder a venda.

5) Reconheça seu público-alvo para traçar estratégias. Não adianta querer alcançar a todos e não atingir seu cliente em potencial. Estude o comportamento dos consumidores de seu mercado, identifique suas necessidades, o que esperam de seus produtos e serviços, utilize ferramentas para que possam entrar em contato como SAC, ouvidoria, pesquisa de mercado, canais de mídias sociais, segmentação em marketing, entre outros.

6) Valorize quem se tornou fiel à sua marca. Foque nestes clientes por meio de ações para mantê-los encantados. Estratégias diferenciadas, como tratamento VIP, programas de fidelização e promoções sazonais podem gerar ótimos resultados.

7) Acompanhe as ações, reações e resultados. Não é possível melhorar aquilo que não se mensura. Descubra as estratégias que dão certo e atualize-se para elaborar outros planos assertivos.

Fonte: www.administradores.com.br

 

 

 
Publicado em Artigos | Com a tag | Deixar um comentário

Como calcular o preço de seu trabalho freelance

 

Quando se trabalha como freelancer, há sempre o risco de cobrar caro demais e perder clientes, ou barato demais e perder dinheiro

Uma das coisas mais importantes para determinar na carreira de freelancer é a estratégia de precificação. Não importa se você acabou de começar sua carreira freelance ou se já tem anos no mercado, determinar o preço a se cobrar – por hora ou por projeto – pode ser uma tarefa complicada. Há sempre o risco de cobrar caro demais e perder clientes, ou barato demais e perder dinheiro. Diante disso, a Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, listou algumas dicas que são úteis na hora de determinar o seu preço.

1) Pesquise a média que os profissionais da sua área estão cobrando pelo serviço

Sempre terá aquele profissional mais qualificado que cobra preços mais altos por conta da qualidade que entrega, ou então profissionais no início da carreira que cobram preços mais baixos para ganharem carteira de clientes. No entanto, o segredo é sempre cobrar o máximo que você ache que vale o seu tempo, sem ficar muito distante da média de mercado.

Para pesquisar o mercado, você pode usar o Google, consultar colegas da sua profissão e até mesmo plataformas de trabalho remoto.

2) Calcule o valor do seu tempo com base nos seus gastos mensais e planejamento financeiro

Para definir a estratégia de precificação, também é importante levar em conta os seus gastos mensais, além do lucro que você deseja tirar naquele mês e no extra que você deseja ganhar para separar para a poupança. Um jeito fácil de realizar esse cálculo é levar em conta um salário de CLT, dividindo o valor pelas horas de trabalho mensais para obter um valor aproximado para levantar o valor de sua hora trabalhada.

3) Compare os dois valores levantados

O último passo é comparar o preço de mercado praticado por seus concorrentes com o preço que você deseja cobrar. Se o preço que você quer cobrar está próximo do preço praticado, sua estratégia de precificação é viável, e você pode mandar sua proposta sem medo. Se o preço está maior do que o praticado pelo mercado, você precisa avaliar que, se você está cobrando mais do que outros profissionais, o cliente precisa entender o motivo e que o seu trabalho vale o investimento mais alto. Já se o seu preço for menor do que o praticado – o que é raro acontecer – você se torna muito mais competitivo. Só tenha em mente que muitos clientes podem ver preços muito baixos como sinônimo de má qualidade. Então, busque formas de provar ao cliente que você cobra pouco, mas vale muito. Mostre sua experiência de trabalho, exiba seu portfólio para comprovar a qualidade de suas entregas e fale de suas qualificações.

4) O valor final de cada projeto é fechado na negociação

Nem sempre o seu preço vai ser o mesmo em todos os seus projetos. Muitas vezes, o cliente vai pedir um pouquinho de desconto ou você vai ter que cobrar um pouco mais porque a complexidade do trabalho é maior do que você tinha entendido. É para isso que existe a fase de negociação. Nesta fase, é crucial se comunicar com clareza e atenção.

Fonte: www.administradores.com,br

 

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Etiqueta: arrumação de mesa

 

Em qualquer refeição ou recepção, a toalha de mesa exerce uma função muito importante na hora servir, pois ela é capaz de criar um ambiente agradável e receptivo. Jogos americanos combinando com os guardanapos também são elegantes, porém não basta apenas uma toalha bonita; há alguns cuidados que se bem observados valorizam a mesa de um almoço ou jantar.

Muitas mesas precisam ser protegidas para que o calor os pratos não danifique sua superfície. Para isso, é recomendável usar um moleton grosso sob a toalha. Mas às vezes esse cuidado não é suficiente para travessas muito quentes, sendo necessário um descanso de madeira, metal ou outro material. Esse moleton também proporciona uma sensação de conforto evitando que pratos ou copos façam barulhos ao serem manuseados.

O arranjo no centro da mesa proporciona um charme especial, mas não deve ser exageradamente alto, pois isso atrapalha a visão dos convidados. Se houver vontade de dar destaque a um belo arranjo de flores, escolha um aparador distante da mesa. Outro detalhe é escolher flores que não exalam perfume, porque pode interferir no aroma da refeição e causar desconforto aos convidados.

Existem opções simples que proporcionam um belo visual. Uma única flor diante de cada prato ou um buquet de flores simples em um jarro com água criam um efeito especial. Usando de criatividade, pode ser criado um centro de mesa comestível como crudités (talos de salsão, cenouras, rabanetes) arranjados ao redor de cremes salgados, maionese, etc. Outra opção é um arranjo de frutas lavadas e secas numa fruteira, prontas para serem consumidas.

Velas só devem ser usadas em refeições noturnas, elegantes ou íntimas. É conveniente acendê-las um pouco antes dos convidados sentarem à mesa, pois isso torna o ambiente aquecido bem como evita o constrangimento das velas pingarem ou provocarem fumaça. Depois de acesas elas apenas derretem a parafina. Ao comprar velas, prefira aquelas neutras, sem perfume, exceto no caso de servir um fondue ou queijo e vinhos na época de inverno. Nesses casos, as velas podem conter essência de baunilha, canela e outros aromas doces.

Dê preferência a pratos, copos e talheres iguais para todos os convidados e adequados à refeição. Nem é necessário lembrar que todos os utensílios devem ser vistoriados para eliminar qualquer sujeira ou manchas resistentes. Se for servir um ensopado, use um prato fundo sobre um prato raso.

Os guardanapos dobrados de maneira especial conferem um toque festivo a qualquer mesa. Existem dobras simples e dobras bem elaboradas, sendo que os tecidos moles dificultam a dobra especial. Até mesmo os guardanapos descartáveis podem ter uma dobra especial. Paliteiros e cinzeiros não são adequados para a mesa de jantar.

O grande prazer de comer também é visual. A habilidade de arrumar uma mesa é uma das maneiras de fazer com que os seus convidados se sintam especiais, mesmo em refeições simples e cotidianas. Com um pouco de criatividade é possivel transformar toalhas, utensílios e arranjos simples, em uma bela mesa de banquete.

Fonte: http://gestaodenegocioseeventos.blogspot.com.br/

 

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Hospitalidade e etiqueta: tipos de copos

 

Em qualquer evento que se queira primar pela qualidade e pela boa hospitalidade, deve-se estar atento aos tipos de copos apropriados a cada bebida servida, pois também interfere no sabor.

ÁGUA: Os copos de água são facilmente identificáveis porque são sempre maiores. Como a água não tem sabor ou buquê que possa ser alterado, pode permanecer mais tempo em copos grandes, com ou sem pedras de gelo.

 

SUCOS DE FRUTAS sejam naturais ou industrializados, pedem copos ligeiramente menores do que aqueles utilizados para refrigerantes. Esse formato é ideal para a bebida fresca e mais concentrada, servindo pouca quantidade e com reposição mais frequente.

 

REFRIGERANTES exigem copos maiores por serem consumidos em grande quantidade e rapidamente, em geral com muito gelo.

 

LONG DRINK como o próprio nome indica, esses drinks pedem copos altos. O motivo é a grande quantidade de gelo que normalmente o acompanha.

 

WHISKY E  CAIPIRINHA: O modelo clássico para servir essas bebidas é o copo mais baixo. Apesar do teor alcoólico elevado, são drinks servidos com gelo. Assim o copo não precisa ser alto, mas deve ser suficientemente largo para acomodar as pedras de gelo e ter fundo grosso para impedir que a bebida esquente.

 

BATIDAS são bebidas servidas prontas, geladas e em pequenas doses, por isso pedem um modelo de copo menor e largo.

 

FROZEN pede uma taça alta e pequena, já que leva gelo e sorvete em sua composição.

 

VINHO BRANCO OU ROSÈ consumido sempre gelado, o vinho branco ganha taças menores, para a bebida não esquentar. É recomendável segurar a taça pela haste para evitar o contato do calor das mãos com a bebida, o que altera o sabor.

VINHO TINTO é geralmente servido em taças maiores e mais bojudas do que as de vinho branco, por não ser consumido gelado. O mais correto é segurar a taça pela haste. Mas, no caso do vinho tinto, não se considera um erro segurar na própria taça.

 

CONHAQUE é servido no copo tipo baloon. Sua boca estreita não permite que a bebida perca o perfume e o pé curto deixa o calor das mãos perto do líquido.

 

CHAMPAGNE E VINHOS ESPUMANTES exigem taça alta e fina, batizada de flûte ou taça flauta. Esse formato mantém por mais tempo a efervescência da bebida.

 

DRY MARTINI pede uma taça triangular e pequena pois a bebida não pode ser ingerida em grandes doses.

 

VINHO PORTO OU XEREZ são bebidas concentradas que exigem cálices pequenos para conservar o sabor.

LICOR servido após as refeições, devido à sua ação digestiva, pede um copo pequeno que contenha apenas alguns goles da bebida, que é sempre bem doce.

 

COFFEE MUG perfeito para servir café com creme.

 

VODCA E CACHAÇA: como a vodca é servida em pequenas doses e supergelada, pede um copo pequeno, fino e com base grossa. Isso evita que o calor das mãos esquente o líquido. Em territórios latinos e tropicais em geral, a cachaça ou aguardente também é consumida neste modelo.

 

CHOPE E CERVEJA devem ser servidos em canecas apropriadas ou copo tipo tulipa, com ou sem a base curta para evitar que a bebida esquente.

Fonte: http://gestaodenegocioseeventos.blogspot.com.br/

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Mercado de festas segue em ritmo crescente (apesar da crise)

 

O mercado de festas não parece ter sido tocado pela crise. De acordo com dados da Associação Brasileira de Eventos Sociais (Abrafesta), divulgados na pesquisa “O Mercado de Eventos Sociais: indicadores sobre a oferta e a demanda”, o mercado de festas e cerimonial cresceu nos últimos anos e estima-se que tenha atingido quase 17 bilhões de reais em 2014.

A expectativa aponta para o crescimento. O número de casamentos já ultrapassa a marca de um milhão por ano e, durante o período analisado, a região sudeste foi, sozinha, responsável por metade dos gastos com festas e cerimônias, seguida pelas regiões nordeste, sul, centro-oeste e norte. A faixa etária que concentra o maior número de casamentos está entre 20 e 39 anos, representando 75% dos matrimônios – número levantado a partir de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do IBGE.

Mas nem só de casamentos vive o setor. A pesquisa revelou ainda que as festas de aniversário representaram 39% do faturamento e que, dentro desta porcentagem, 32% foram eventos para o público de 1 a 12 anos. O presidente da Abrafesta, Ricardo Dias, afirmou que o mercado de eventos sociais no Brasil é maduro e que seu crescimento acontece em todas as regiões do país.

Os eventos demandam uma grande quantidade de fornecedores de diferentes serviços e produtos, o que aponta o setor como um excelente nicho para montar um empreendimento. Comida, decoração, planejamento, convites, entre outros, estão entre os itens que podem ser oferecidos. Empresas que prestam esse tipo de serviço e estiverem atentas às necessidades do público e às novidades e tendências do mercado, têm grandes chances de sucesso.

Fonte: https://abrafesta.com.br

 

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Boas maneiras à mesa

 

Boas maneiras é em parte questão de bom senso mas requer o conhecimento de algumas normas que podem ajudar a não se sentir constrangido em qualquer ocasião. Muitas vezes a intuição pode auxiliar, mas em outras, se não sabemos proceder, o jeito é observar. E se ainda persistir alguma dúvida, nada impede de perguntarmos.

Um convidado para qualquer recepção, almoço ou jantar, deve se apresentar com a roupa apropriada para o evento. Nunca se deve usar boné, chapéu ou camiseta sem mangas à mesa de uma refeição. Mesmo em situações informais ou refeições com a família e no recesso do lar, é uma demonstração de consideração estar apropriadamente trajado. Outro fator importante é observar o horário marcado evitando que os demais convidados sejam constrangidos a aguardar a sua chegada para dar início a um almoço ou jantar.

Na distribuição de convidados à mesa, somente o dono da casa, anfitrião ou a anfitriã, ocupam as cabeceiras da mesa na disposição à inglesa ou o centro da mesa na disposição francesa. Também são eles que designam os lugares a serem ocupados. Os convidados devem aguardar o convite para se dirigir à mesa ou ao buffet, e devem esperar que os anfitriões, convidados de honra e os mais idosos ocupem seus lugares. Também não se deve deixar de atender ao primeiro chamado dos anfitriões para ocuparem seus lugares.

Postura à mesa de refeições

É um gesto de simpatia e educação que os homens podem demonstrar às senhoras presentes, auxiliando-as a sentar, afastando a cadeira para lhes dar espaço e depois ajudando a encontrar a posição mais cômoda. O homem presta sua gentileza primeiramente à mulher que estiver à sua direita.

A postura correta à mesa é manter-se com a cabeça e tronco ereto, sem excessiva rigidez, porém evitando sentar-se com as costas curvadas, inclinar-se sobre o prato, descansar os pés sobre os joelhos, apoiar os cotovelos na mesa como também inclinar-se para trás. É permitido estar relaxado, porém sem excessos.

Todos os procedimentos devem ser feitos de forma natural, sem nenhuma tensão ou stress. Um jantar ou uma refeição junto de outras pessoas deve ser de satisfação e descontração. Evitando-se os excessos, podemos tornar esse momento agradável para todos.

Guardanapo

O guardanapo em geral é colocado à esquerda ou sobre o prato. Ao tomar o lugar designado, deve-se posicionar o guardanapo no colo ou colocá-lo ao lado esquerdo, mantendo-o dobrado. Manter os lábios e a boca limpos, usando com frequência o guardanapo, principalmente antes usar um copo ou xícara, a fim de não deixar marcas em suas bordas, faz parte dos bons modos à mesa.

Também é imperdoável prender o guardanapo no colarinho da camisa ou no decote do vestido. Um guardanapo nunca deve ser usado para assoar o nariz, enxugar a testa ou o rosto, estando à mesa. Se for muito necessário, retire-se da mesa por um momento.

Aliás tossir, espirrar e assoar o nariz, estando-se à mesa, transmite uma péssima imagem. Sendo algo inevitável, melhor é voltar-se para uma direção em que não haja nenhuma pessoa, e lance mão de um lenço a tempo de colher o espirro. Se involuntariamente arrotar ou fizer qualquer ruído, desculpe-se com os convidados próximos. Ao terminar a refeição, o guardanapo deve ser deixado à direita do prato.

Como manusear os talheres

Não se deve servir o prato antes do anfitrião e, se for servido pelo garçom, aguarde até que todos tenham sido servidos, para começar a comer. Se houver inúmeros talheres significa que serão servidos diversos tipos de refeição. Os talheres estão colocados na mesma ordem em que serão servidas as iguarias. Os primeiros talheres a serem usados são aqueles que estão mais distantes do prato, garfos à sua esquerda e facas à sua direita. Conhecer os vários tipos de talheres e a quais pratos seu uso se relaciona, ajuda a proceder com mais desembaraço.

O pão colocado no pratinho à esquerda deve ser consumido partindo os pedaços com as mãos e conservando-o sempre no respectivo pratinho. Não se corta o pão com a faca, mesmo que seja um pão especial. Se houver um courvert, com molhos, manteiga e outros, usa-se o talher que está junto ao prato de pão. O prato principal deve ser mantido na mesma posição à frente e não deve ser movimentado, nem mesmo quando se termina de comer.

Quando houver consomê ou caldo, usa-se a colher da direita, evitando aspirar ruidosamente o caldo. Também não se mistura a comida do prato com o garfo. Recolhe-se com o garfo porções dos vários ingredientes, sem misturá-los previamente. Ao cortar, deve-se evitar que a faca colida com o fundo do prato. Um talher usado jamais deve ser colocado sobre a toalha da mesa.

Bebidas

Os drinks e coqueteis porventura servidos antes do jantar não devem ser levados à mesa de refeição, mesmo que ainda não tenha terminado de apreciá-lo. Igualmente não se solicita bebida destilada tipo whisky, cognac, vodka etc. e nem bebidas doces como licor e vinhos licorosos como acompanhamento dos pratos principais.

O acompanhamento em um jantar formal é sempre o vinho e será servido à mesa. Deve-se beber apenas o que é oferecido como acompanhamento a cada estágio da refeição, e no momento oportuno. O anfitrião oferecerá bebidas destiladas quando forem exigidas por pratos especiais. Também não se pede mais vinho. Cabe ao anfitrião ou ao garçom estar atento ao copo vazio, porém é permitido solicitar água. Ter moderação na bebida é essencial.

Brindes e discursos

Uma pessoa educada é capaz de proferir algumas palavras de saudação, brinde ou discurso quando solicitada a fazê-lo em um almoço ou jantar, ou quando percebe que é oportuno e esperado que tome tal iniciativa. O brinde por isso é um tópico de boas-maneiras à mesa, tanto quanto à postura para o gesto de brindar como quanto ao modo de responder ao brinde.

Em situações formais, na hora do brinde, basta erguer o copo um pouco acima, depois que a pessoa que comanda o brinde terminar de falar algumas palavras sobre o momento. Em reuniões íntimas, vale encostar levemente o copo no das pessoas, preferencialmente aquelas que estiverem mais perto, não sendo necessário debruçar sobre a mesa para brindar com os convidados distantes. Dizer “tintim” faz parte do brinde e é importante lembrar que, em qualquer situação, só se começa a beber depois de feito o brinde. Uma vez feito o brinde é obrigatório que a pessoa prove um pouco da bebida, não sendo elegante colocar o copo sobre a mesa sem beber.

Atitudes à mesa

Enquanto comemos, existem algumas atitudes que devem ser auto vigiadas: não posicionar os cotovelos sobre a mesa enquanto comemos, apenas os punhos. Ao utilizar o garfo e a faca, manter os cotovelos próximo do corpo. Também usar as mãos com propriedade: os franceses adotam ter ambas as mãos sobre a mesa segurando o garfo com a mão esquerda e a faca com a mão direita; os ingleses só usam ambas as mãos apenas no momento de cortar a carne, e depois mantêm a mão esquerda no colo. Fazer gestos com um talher nas mãos pode parecer um guerreiro em luta. Ao finalizar a refeição, posicione os talheres paralelos sobre o prato.

À mesa, converse com os convidados ao seu lado esquerdo e direito e os convivas à sua frente. Preferencialmente, participe do interesse geral dos anfitriões, em atitude atenta porém nem tensa ou ansiosa. Não se coloque distante do que ocorre a mesa, ocupando-se em brincar com talheres ou distraindo-se com celular ou outro objeto. Mantenha o bom humor, atenção amável e interesse na conversação, sempre incluindo os anfitriões, seja com o olhar, seja ouvindo com respeito suas opiniões. Não fale alto nem com entusiasmo ou otimismo exagerados.

Nas refeições informais e no caso Buffet não há restrição para se repetir um prato, porém, quando estão previstos vários pratos, na ordem própria de uma refeição completa servida à francesa, somente se repete um prato se o garçom oferecer uma segunda vez. Não se pede para repetir qualquer dos pratos, pois em geral um prato completa o precedente, de modo que sua fome não será aplacada com o primeiro deles, mas somente ao fim da refeição, incluída a sobremesa.

O buffet permite à pessoa servir-se várias vezes e até na mesma ordem dos pratos de uma refeição servida à francesa: entradas, massas, carnes e guarnições etc. Não se aperceber disto e encher o prato misturando vários sabores ou exagerar nas porções ou portar um prato transbordando de comida, é deselegante além de colocar-se ao risco de ser observado pelos demais como uma pessoa faminta.

Gafes imperdoáveis

É desnecessário dizer que não se fala com a boca cheia, não se mastiga com a boca aberta e nem se mastiga ruidosamente, pois esses são preceitos bastante conhecidos. Quando se quer fazer alguma intervenção mais extensa, deve-se interromper a refeição. Falar enquanto come induz a engolir muito ar, resultando em dores no estômago e no peito, além de outros inconvenientes. Também não se comenta e não se faz comparações sobre a comida ou o vinho servidos.

Não se pega indiscriminadamente com os dedos nem se cospe no guardanapo partes não comestíveis do que foi levado à boca. A regra geral é: do mesmo modo que se levou um alimento à boca, retira-se qualquer sobra dele que seja necessário remover; por exemplo, um osso, cartilagem, um caroço etc. Se o alimento foi levado à boca com o garfo, aproxima-se o garfo à boca para retirar qualquer parte indesejável, protegendo o gesto com a outra mão. Qualquer descarte indesejável deve ser colocado na borda do prato, e não no pratinho de pão ou no sousplat. Se por acaso cair um pouco de comida de seu prato sobre o forro da mesa, recolha com o garfo e coloque ao lado do prato.

Meter o dedo na boca para limpar entre os dentes com a unha, limpar o nariz no guardanapo, limpar a boca no forro da mesa ou cometer outras imprudências à mesa, demonstra despreparo para comer em companhia de outras pessoas. Igualmente não se palita os dentes à mesa e nem se sai do restaurante com um palito nos lábios. Em caso de necessitar remover algo preso aos dentes, espere a oportunidade de ir até o banheiro para cuidar disso.

Para ausentar-se da mesa

Para levantar-se ou ausentar-se da mesa é necessário se desculpar ou pedir licença, porém sem necessidade de dar grandes explicações, por exemplo, que necessita ir ao banheiro. Acidentes de deglutição são causas frequentes de engasgo com água, saliva, farinha, bebida alcoólica forte, fragmentos de comida. A espinha de peixe é um problema especial. Assim é preciso assegurar-se de que a porção a ser levada à boca esteja livre de espinhas. Justamente por isso a faca para peixe não tem corte, porque serve para separar.

A reentrância do talher de peixe na forma de espátula, serve para separar com cuidado a carne das espinhas e dos ossos. Uma espinha de peixe pode causar ferimentos, e nesse caso pode ter que ser retirada com os dedos. Se sentir necessidade, a pessoa deve ir ao banheiro para cuidar mais à vontade do problema. Mas não hesite em pedir auxilio nos casos de se sentir-se sufocada.

Seja elegante

É anti-higiênico e deselegante colocar sobre a mesa o telefone celular, a chave do carro, etc. Telefones celulares devem ser desligados e religados somente após a pessoa deixar a mesa. Quando se precisa manter o celular ligado, mantenha-o no bolso ou na bolsa, ou em um ponto ponto suficientemente próximo da mesa para que escute a chamada, ou tê-lo no bolso apenas com o sinal de vibração ligado, e se desculpar quando precisar atendê-lo.

Também não se toca nos cabelos, não se retoca maquiagem à mesa, ainda que a refeição esteja terminada. Qualquer procedimento referente a cuidados com a roupa ou com a maquiagem deve ter lugar no banheiro. Cabelos presos evitam que caiam sobre o rosto e o prato. Unhas bem cuidadas são notadas enquanto se segura um talher para comer. As mulheres devem retirar o excesso de batom com guardanapo descartável para não manchar os copos nem deixar marcas notórias no guardanapo. Estes são cuidados que se deve ter ao participar de uma refeição, ainda que seja informal ou da rotina diária, e inclusive no lar.

Civilidade e boa educação

Licença, Por favor, Desculpe, Obrigado e outras palavras gentis servem para solicitar ou para agradecer um serviço ou uma gentileza. Ser gentil com os garçons e pessoal de serviço, assim como com os outros convidados demonstra civilidade e boa educação. Grosserias com os serviçais por parte do anfitrião, não devem servir de incentivo para seus convidados, que devem repudiar tal prática.

Não se chama atenção e não se remove de modo ostensivo qualquer coisa imprópria encontrada no prato, como fios de cabelo, insetos etc. Coloque o objeto estranho debaixo da borda do prato. Se preferir continuar a refeição, solicite discretamente outro prato sem muitas explicações. Porém se isto lhe tirar o apetite, tente engajar em alguma conversação que possa distrair a atenção do seu gesto e, ao final, pode alegar estar sem apetite e pedir desculpas por deixar boa parte da comida no prato. No caso de estar em um restaurante, use a discrição.

Qual a hora de despedir-se

Após os discursos e brindes, a partir da sobremesa, durante o cafezinho e os licores, é tolerável uma postura menos formal e a atitude pode ser um pouco mais à vontade. No entanto, deve-se aguardar que a anfitriã convide para deixar a mesa para o café e licores numa sala de estar, onde os convidados deverão permanecer por algum tempo, se despedir e partir.

Em consideração aos anfitriões, despeça-se na hora oportuna sem prolongar demasiado sua presença.Permanecer muito tempo após o serviço de jantar, chá ou coquetel obriga a anfitriã, certamente já cansada, a pensar em algo mais para oferecer.

Dá pra levar um pratinho?

Nunca solicite um pouco do que sobrou de um jantar ou almoço, um pratinho de doces ou pedaço de bolo. Ter olhos para o que possa sobrar de uma festa demonstra necessidade econômica e, embora a comparação possa parecer muito rude, é um papel de pedinte.

As sobras de uma festa, para que não haja desperdício, poderão ser oferecidos pela anfitriã apenas a parentes ou convidados muito íntimos, desde que sejam os últimos a sair. A anfitriã também pode optar para convidar os convidados mais íntimos para uma refeição no dia seguinte, com a mesma finalidade.

Agradecimentos

O convidado pode agradecer ao garçom quando é servido, mas não pode fazer qualquer observação, nem mesmo elogios diretamente a ele ou lhe agradecer pela saborosa comida. Todo prazer do encontro deve ser agradecido a quem o convidou, porém no final do encontro.

Após participar de um jantar ou festa, é elegante enviar no dia seguinte uma mensagem de agradecimento, que pode ser acompanhada de flores. Se houver mais intimidamente com o anfitrião ou anfitriã, pode-se telefonar para comentar, tecer elogios e cumprimentar pelo evento.

Fonte: http://gestaodenegocioseeventos.blogspot.com.br

 

 

 

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Habilidades e competências no ambiente de trabalho

 

Existem habilidades e competências que são primordiais e fazem toda diferença para qualquer profissional bem sucedido, que além de proporcionar  estabilidade pode garantir sucesso nas relações interpessoais.

  • Forme uma rede de relacionamentos (Networking):

No mundo atual formar uma rede de relacionamentos não é apenas para encontrar emprego ou clientes. Pensar em uma rede de relacionamentos é algo fascinante, isso porque oferece a chance de aprender e ter informações com as pessoas. Ter uma rede de contatos significa ampliar sua rede de informação, o que facilita muito a vida e evita perder tempo se deslocando por diversos lugares.

Uma boa rede é feita através das habilidades de comunicação e outras competências, que deve incluir vizinhos, empregados do condomínio, prestadores de serviços, colegas de trabalho etc.  Não deve ser vista apenas como algo estritamente profissional e, acima de tudo, deve ser autêntica e não de tapinhas nas costas ou curtir nas redes sociais.

  • Saiba ouvir:

Existe um ditado popular muito interessante: “É impressionante, como uma pequena parte do nosso corpo, tão leve como a língua, seja tão pesada que não conseguimos mantê-la segura em nossa boca”.

Há  pessoas que estão sempre prontas para falar, mesmo antes de serem perguntadas de algo. No entanto, pessoas que sabem ouvir são sempre preferidas entre as demais. Quem sabe ouvir transmite credibilidade e ainda pode se beneficiar de informações antecipadas que lhes chega gratuitamente.

Ouvir com eficiência significa ser capaz de perceber as mensagens que nunca são ditas, mas que refletem nas posturas dos outros. Quem sabe ouvir também aprende a perceber as intenções alheias e sempre se desvia de uma fofoca propondo uma solução para um problema da empresa.

  • Saiba observar:

Saber observar e ter noção do que está acontecendo, que por si só nos livra de uma série de problemas e ainda traz uma série de benefícios. Uma pessoa observadora sabe o que falar, como falar e a quem falar. Reconhece bem seus limites, sabe quem é quem e conhece os territórios demarcados, mesmo que sejam invisíveis. Evita  cometer gafes e mancadas, pois suas atitudes são de acordo com o ambiente e o clima organizacional.

Existem habilidades e competências que são primordiais e fazem toda diferença para qualquer profissional bem sucedido, que além de proporcionar  estabilidade pode garantir sucesso nas relações interpessoais.

  • Exerça a liderança:

Vale ressaltar a diferença entre chefiar e liderar. Chefe é aquele que assume as responsabilidades de gerenciar um setor. Liderança é a capacidade de solucionar problemas e motivar as pessoas. É ver que outras pessoas lhe encaminham dúvidas e querem ouvir sua opinião.

Quem sabe exercer liderança logo obtém reconhecimento. E mesmo que não ocupe um cargo de chefia, pode exercer liderança. Liderar não é mandar nas pessoas. Liderar é fazer as coisas acontecerem. É ajudar outros a resolverem suas atividades. É contribuir para que uma empresa ou comunidade tenha resultados melhores através do desempenho das pessoas.

  • Aprenda a escrever e a se expressar:

É lamentável quando se lê documentos, relatórios e circulares na empresa, muitas vezes redigido por coordenadores, supervisores e até diretores, com erros de ortografia, acentuação, pontuação etc. Alguns conseguem desenvolver essa habilidade, outros nem tanto.

Muitas vezes as pessoas escrevem, mas não têm a menor noção do que estão transmitindo e não pedem ajuda. O meio mais prático para evitar erros é evitar palavras que não domina. Outros recursos são a leitura de livros, revistas, jornais, legendas e assim melhorar seu vocabulário além de estudar um pouco de gramática, concordância etc.

Outra solução é dispensar pelo menos 10 minutos do seu tempo escrevendo, fazendo a cópia de um texto e assim melhorar sua escrita. Isso também ajuda ainda a fixar um bom vocabulário. Leia jornais e revistas. Quem lê diversos artigos sempre está bem informado de assuntos diversos e não se prende a um assunto específico.

  • Pesquise:

Quando se pesquisa sobre um assunto, se torna mais apto para falar ou empregá-lo em qualquer discurso ou projeto. Busque informações, fatos, provas, idéias ou confirmações. Isso permite se beneficiar na tomada de decisões e na credibilidade que se passa aos demais, quando sempre está calçado pelas melhores informações.  Quanto mais informação acumula, mais competência terá para se manter interessante em uma roda de conversas.

  • Desenvolva a capacidade para lidar com pessoas difíceis:

Apesar da cordialidade ser necessária com todas as pessoas, seria ilusão pensar que todas as pessoas serão legais, que reconhecerão esforços, farão elogios e irão cooperar em alguma coisa. Ao mesmo tempo, manter-se de prontidão para a guerra consome muita energia e causa ansiedade e estresse.

O melhor é ser realista e aceitar que existem pessoas de difícil convivência, que sempre tem uma brincadeira ou um comentário maldoso, que falam pelas costas ou pela frente injustamente, por prazer ou por interesses desconhecidos ou não. A melhor maneira de desarmar essas pessoas difíceis é realmente deixar claro que você não entrará em conflito.

Quando um não quer, dois não brigam. Muitos métodos podem ser utilizados, desde a conversa franca reservada, um olhar sem responder, ignorar ou isolar. Não permita que essas pessoas tenham poder sobre seu humor, sobre sua autoestima.

Principalmente se temos um desafeto em algum ambiente ou uma pessoa de difícil convivência, a melhor coisa a fazer é conquistar as demais pessoas com sua capacidade, simpatia e jamais mencionar a pessoa difícil. Desta forma, quando ela for fazer suas maldades, será questionada e reprovada.

  • Desenvolva habilidade política:

Semelhante à capacidade de lidar com pessoas difíceis e agir de forma política é ter a capacidade de lidar com o coletivo, desviando-se de intrigas e atritos, relacionado-se bem com todos. É saber transmitir mensagens, mesmo as mais difíceis, sem colecionar inimigos. É explicar as situações e propor alternativas, sempre pensando no interesse coletivo e também na sua auto-promoção de forma sadia.

  • Aprenda a decidir:

A todo tempo estamos tomando decisões, contudo temos de estar cientes que todas elas causam algum impacto nos resultados que esperamos ou nas pessoas com as quais convivemos. Algumas decisões podem ser tomadas de imediato, mas na maioria das vezes é necessário pensar antes.

Mesmo que já tenha suas ideias é muito produtivo ouvir opiniões, pesquisar, procurar dados, analisar fatos antes de agir e decidir. Quando decidimos devemos ter convicção de que é a melhor decisão. Por isso sempre avalie, reavalie e se for preciso recue. Reparar um erro com humildade é bem melhor do que não ter feito nada.

  • Desenvolva a habilidade de falar em Público:

Algumas pessoas tem a habilidade de falar em público com desenvoltura. Outras julgam não ter ou não a têm de fato. Falar claramente, de forma convincente e envolvente não é algo difícil, mas é necessário observar algumas dicas.

Uma delas é não falar rápido demais; outra é ter em mente que o medo é natural a todos. A grande diferença é saber o que fazer com o medo. Quando se tem novas ideias, muitas vezes um pequeno erro nem é notado. Antes de entrar no assunto que é o seu objetivo, fale de coisas mais amenas, com as quais esteja familiarizado.

Se você está com receio de iniciar, comece fazendo perguntas e assim poderá quebrar a tensão. Dessa forma você relaxa e ao mesmo tempo demonstra sua preocupação com uma boa oratória, reconhece não ser um expert no assunto e ganha credibilidade ao abordar o assunto desta forma.

  • Tenha espírito de servir:

Tenha espírito voluntário, faça as coisas com boa vontade, não se esconda das tarefas, ajude um colega de serviço em suas tarefas, ajude alguém a resolver problemas, nunca use a frase “faço minha parte”. Pode parecer tolice, mas não é. Você ganha um aliado e com o passar do tempo seus superiores notarão seu empenho. Eles verão que você faz as coisas acontecerem.

Nunca considere que, com essa atitude de servir e de buscar solução dos problemas, os colegas e lideres possam estar explorando sua boa vontade. E mesmo que isso aconteça, trabalhe com motivação.

O fato é que quem resolve problemas acaba assumindo cargos em que essa habilidade é necessária. Aqueles que se omitem, perdem boas oportunidades. É fácil notar essas pessoas que se interessam em atender bem aos clientes e dar bom andamento no trabalho. Logo elas estão em cargos mais elevados. Mas não exagere no espírito de servir.

  • Tenha auto Crítica

Avalie-se. Encontre um tempo para pensar se suas atitudes são cordiais, dinâmicas e proativas. Analise  se você pode ser vista como uma pessoa capaz, competente e bem aceita em seu meio.

  • Tenha autodisciplina

Sempre é muito fácil dar início às coisas; o mais difícil é dar continuidade. Temos uma tendência natural a perder o foco das coisas e ou desviarmos atenção para coisas mais interessantes ou novas. Quando nos propomos a realizar algo e nos dispusemos a seguir com disciplina, a chance de tocarmos e concluirmos os projetos são maiores.

  • Relaxe

No mundo atual o stress é natural. A modernidade e a atualização andam a passos largos e é necessário acompanhar a evolução. Seria muito simples aconselhar: se desliga, deixe no trabalho os problemas da empresa.

Quem nunca se pegou conversando sobre trabalho e problemas profissionais com amigos, parceiros, vizinhos etc. Mas existe uma receita mais simples e que funciona. Não se trata de se desligar, mas fazer coisas que você goste.

Alguns minutos de bate papo com amigos,  fazer uma caminhada, ir ao cinema, namorar etc. Ainda que não possa fazer isso todos os dias, pequenos momentos felizes podem e devem ser obtidos em doses menores, muitas vezes ao dia. Isso tem um efeito relaxante.

  • Descomplique

Viva a vida de forma simples e descomplicada. Não se sobrecarregue de tarefas desnecessárias, não se preocupe com problemas que não existem ainda, não leve a vida tão a sério. Ria das situações complicadas, alegre-se com as pequenas conquistas e comemore todos os sucessos…

Fonte: http://gestaodenegocioseeventos.blogspot.com.br/

 

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Etiqueta profissional e Marketing pessoal

 

As mudanças no mundo nos últimos tempos não significa que boas maneiras e etiqueta social estão em desuso. Ao contrário elas permanecem vivas e mais que em outras épocas são capazes de construir uma imagem positiva, sendo imprescindíveis para o marketing pessoal. Existe uma coisa que, apesar de não estar escrita, é válida e tem enorme influência, que são as chamadas convenções, que compõem a escala de valores das pessoas, grupos e sociedades. Assim, convencional é tudo aquilo que é aceito por consentimento em geral, uma forma de agir no convívio social.

Quando você se comporta de acordo com uma escala de valores de um grupo, é mais facilmente aceito pelo grupo. E, quando quebra uma convenção, fica sujeito a julgamentos que podem lhe afastar do grupo ou ser rejeitado. Isso não significa que você deva aderir a convenções que firam seus princípios. Por exemplo, consumir drogas porque todos do grupo consomem. Nesse caso, é melhor mudar de grupo.

Também existem símbolos, estilos e comportamentos que são associados a imagens predefinidas. Essas imagens normalmente são formadas pelas convenções sociais, próprias do ambiente em que se convive. Cada um de nós, de acordo com sua própria ótica e interesses, forma uma imagem particular do mundo. Portanto, os outros também formam suas próprias imagens a nosso respeito. Cabe-nos transmitir a imagem dentro dos simbolos convencionados de acordo com os nossos interesses. Esse é o grande segredo do protocolo social e o segredo do marketing pessoal eficiente.

Então devemos desenvolver nossa percepção para captar os símbolos do grupo. Normalmente existem alguns que são convencionados. Usar terno e gravata mostra status e respeito. Usar um sorriso, mostra simpatia e generosidade. Usar joias e coisas douradas mostram luxo e vaidade. Estar a ler um livro demonstra cultura e também as cores que podem dizer muito sobre você. O resultado do que fazemos depende da maneira como nos relacionamos com os outros, como nos apresentamos e como elas nos interpretam.

As pessoas sempre estão avaliando umas às outras, seja no aspecto técnico como comportamental. Entonação de voz, postura, modos de sentar, de comer, de cumprimentar, tudo reflete sua pessoa e tudo é considerado na avaliação que fazem de você. O modo como cumprimentamos, nossa expressão facial, modo de andar, de vestir, a apresentação, tudo integra um conjunto que vai passar informações a nosso respeito.

Por isso devemos ter em mente que causar uma primeira boa impressão é uma oportunidade única. Se perdemos essa chance, levaremos muito mais tempo para consertar. Para isso devemos evitar modos artificiais que podem nos trair em um momento de distração e depõem contra nós. No momento das apresentações, devemos estar atentos às normas de apresentações, evitando gafes e indelicadezas.

Fonte: http://gestaodenegocioseeventos.blogspot.com.br/

 

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , | Deixar um comentário

O poder do retorno

 

Texto de Sulan Sanches

Muitos não sabem como um simples feedback pode mudar situações em nosso cotidiano

Faz algum tempo que estava pensando em escrever sobre um assunto que me acompanha desde o início de minha trajetória profissional e confesso que só estava observando, mas agora achei que seria uma boa oportunidade de expor. Sempre tive a oportunidade de trabalhar em empresas de médio e grande porte em diferentes ramos de atuação e também de conviver e compartilhar conhecimentos e vivências com muitos de meus colegas colaboradores. Isso agregou muito a mim não somente ao lado profissional, mas ao pessoal também, pois muitas vezes a experiência de alguém adentrou em algum momento de minha vida.

Todavia, hoje posso dizer com pesar que não pude ter a oportunidade de compartilhar e absorver experiências com chefes. Muitas vezes tentei de alguma forma ter o contato, uma conversa franca, pedir um feedback, mas nunca há tempo ou interesse de um superior em averiguar o que posso melhorar ou o que tenho de melhor a oferecer. Isso é péssimo, pois me passa a impressão de ser só mais uma na equipe, apesar de eu saber dos meus diferenciais e todos os dias fazer deles meus alicerces para realizar minhas responsabilidades da melhor forma possível.

Este texto é apenas uma pequena reflexão sobre como é importante a comunicação entre líderes e liderados, mas também sobre saber a importância que temos em nosso ambiente de trabalho e como podemos melhorá-lo e contribuir para sempre deixá-lo amistoso e colaborador.

Este texto não se limita somente ao ambiente organizacional, pois também é indicado para as pessoas que prestam serviços e fazem parte de nosso cotidiano (porteiro, atendente, recepcionista, gari, frentista) e principalmente as pessoas que estão em busca de novas oportunidades profissionais, já que sempre há esperança de um retorno da empresa depois de uma entrevista ou de uma nova etapa no processo seletivo. Sendo positivo ou negativo, sempre dê um retorno, pois somente assim poderemos rever nossos posicionamentos.

Fonte: www.administradores.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , | Deixar um comentário